Ao longo dos últimos anos já passei por diversas fases, desde utilizador iOS, para iOS e Android em simultâneo, depois unicamente para Android, voltando a iOS solo, até que regresso ao uso simultâneo das duas plataformas.

Isto claro sem remexer no baú e ir diretamente aos saudosos Nokia com Symbian OS, ou os Qtek com Windows, à data uma versão muito aproximada da desktop.

Agora que já perceberam que sou da geração anos 80, vou tentar explicar o porquê de eu sempre dizer que entre iOS e Android, o melhor é sempre usar os dois.

Não vou esconder que o meu dispositivo principal é neste momento um iPhone 11 Pro Max e pelo menos nos próximos tempos não tenciono abdicar do ecossistema da Apple como uma das minhas principais ferramentas de trabalho.

Voltei ao mundo Android há cerca de um ano quando comprei um Black Shark 2, submarca da Xiaomi, e desde então tenho dividido a minha utilização entre os dois sistemas.

Esta aquisição de um Android teve um propósito, e o modelo que comprei denuncia isso mesmo, é um smartphone com pretensões Gaming, sendo esta a sua principal função na minha utilização.

E vocês perguntam-me, então o iPhone não dava para jogar? De facto dava e atrevo-me a dizer que com maior qualidade, mas jogos do estilo do Fortnite (que à data ainda era possível jogar no iPhone), Call of Duty, entre outros, dizimam a bateria do iPhone 11 Pro Max em menos de um fósforo, mesmo sendo a autonomia do meu iPhone muito boa.

Ora sendo o meu iPhone uma das minhas ferramentas de trabalho, não podia continuar a gastar bateria deste com jogos nos meus tempos livres e depois não ter autonomia suficiente para o meu dia de trabalho.

O Android escolhido não é um topo de gama, mas pelo menos no processador e na memória RAM não me deixa ficar mal.

Contextualizada a minha situação, e as razões pelas quais sou utilizador das duas plataformas resta-me dar-vos um breve resumo do que mais gosto e desgosto, tanto no iOS como no Android.

Porquê o iOS?

Sem querer ser tendencioso regra geral um topo de gama com iOS é assumidamente mais rápido do que um topo de gama Android e se os colocarmos então lado a lado dois anos volvidos a diferença é ainda mais notória.

O iOS é um sistema mais simples de usar, possivelmente perdendo algumas funcionalidades em relação ao Android, mas tornando mais acessível e fluída a sua utilização.

Em muito esta situação se deve ao facto de na verdade o iOS ser só um para todos os dispositivos, por sua vez o Android é diferente em cada marca e dentro de cada uma ainda há diferenças consoante os modelos, ou seja, a Interface de Utilizador (UI) vai diferindo.

Para mim, outra vantagem absoluta do iOS é a forma como se posiciona no ecossistema da Apple, se tivermos mais dispositivos da marca americana, Apple Watch, Mac, iPad, AirPods, tudo se sintoniza numa melodia perfeita.

Recentemente troquei de Mac, e nos dias que estive sem ele até chegar o novo, verdadeiramente me apercebi que isto funciona como um puzzle.

Dentro deste ecossistema temos o iMessage, só disponível no universo Apple e arrisco a dizer que pelo menos oficialmente nunca chegará ao Android.

Grande parte do meu círculo de amigos e família usa o iMessage como meio de comunicação, mesmo em grupos. Facilita bastante mesmo o envio de fotos, vídeos etc., para quê mais aplicações e expor a nossa privacidade a outros softwares se podemos ter tudo supostamente seguro no iMessage.

Mas há mais, e sou obrigado a referir uma questão muito falada em diversos fóruns. A qualidade das apps, e só quem tem a possibilidade de trabalhar com as duas plataformas se aperceberá.

Muitas aplicações são mais bem desenhadas para o iOS, o próprio Fortnite quando ainda era possível jogar uma versão atualizada do iOS, tinha gráficos mais perfeitos e pormenores melhor executados.

As aplicações de alguns bancos nacionais, por exemplo, são muito mais bonitas e bem desenhadas no iOS. Toda a experiência de utilização é estranhamente mais suave e agradável no iOS.

Mais ainda as próprias aplicações da Google são mais bonitas e proporcionam uma melhor experiência no iOS do que no Android, e isso é testemunhado por diversas reviews.

Não me posso esquecer também da longevidade das atualizações disponibilizadas pela marca. Quatro ou cinco anos é uma realidade no iOS, já no Android dois anos será o máximo de uma grande parte das marcas, mas muitas nem a isso chegam, e mais do que dois anos de atualizações, os dedos de uma mão sobram para contar as marcas que o fazem.

Há ainda o Apple Pay, está já disponível em Portugal num número interessante de bancos e é bastante útil e eficiente. O facto de poder ser usado em todo o ecossistema é uma mais valia, iPhone, Apple Watch, iPad, Mac, qualquer destas plataformas pode usar o Apple Pay com segurança. Na verdade nunca experimentei o Google Pay, mas pelo que tenho lido não está ainda no patamar do serviço da Apple.

Mais razões haverá, pelas quais o iOS se poderá sobrepor ao Android, mas o contrário também acontece e vou agora nomear algumas.

Porquê o Android?

A palavra que melhor define na generalidade o Android é Liberdade. Com tudo de bom e mau que lhe poderá estar associado.

Gosto de ter a liberdade de arrumar o meu ambiente de trabalho da maneira que me der na cabeça, ou conforme o meu humor. Se quero as aplicações todas alinhadas à direita, no Android tenho, no iOS nem por isso.

O Fortnite foi banido na App Store e da PlayStore, porém ainda legalmente posso ter acesso ao jogo via aplicação da Epic Games por exemplo. No iOS “morreu” o Fortnite até ver.

A liberdade de escolha, por acaso escolhi o Black Shark 2 porque me agradaram as características e o preço, mas facilmente poderia ter escolhido um Samsung, um OnePlus, um Huawei, um Asus, ou outro qualquer, tantas escolhas disponíveis para tantos gostos, preços e feitios.

A verdade é que se queres um smartphone novo competente e sem gastar dois salários mínimos, a solução será sempre um Android de gama média, que diga-se de passagem será mais do que competente para a maior parte dos utilizadores.

Se queres um iOS tens 5 ou 6 modelos de iPhone a serem vendidos de forma oficial atualmente, com diferenças de design e de características marginas entre alguns deles. Ou seja, muito vira o disco e toca o mesmo.

E o enervante que é no iOS a resistência a novas características, sejam de design sejam técnicas. Anos de atraso nos widgets, por exemplo, anos de atraso a eliminar a necessidade do notch, anos de atraso a colocar o reconhecimento de impressão digital debaixo do ecrã, até o Black Shark 2 tem isso, não é super rápida a leitura, mas está lá.
Ecrãs com taxas de atualização acima dos 60Hz, no mundo Android é ao pontapé, no iOS nem vê-lo na data em que vos escrevo. E olhem que caso o iPhone 12 tivesse um ecrã de 90Hz ou 120Hz, eu tinha trocado.

Já não vou falar no mundo do root que permite instalar novas UI e customizar o Android a teu bel-prazer. São modas que outrora me despertaram interesse, mas que agora estou fora do contexto, todavia a possibilidade está lá porque o Android é um sistema aberto, com LIBERDADE.

Resumindo e concluindo

Muitas outras vantagens e desvantagens existirão em ambas as plataformas e vão sobretudo depender da utilização de cada qual.

Por isso, sempre defendi que o mundo ideal seria cada utilizador ter os dois sistemas, pode parecer ridículo, para quê dois smartphone se só necessitamos de um, contudo há em ambas as plataformas experiências únicas e exclusivas.

Não negues à partida uma ciência que não conheces - onde é que eu já ouvi isto.

Eu tenho abertura mental suficiente para apesar de ter uma preferência, reconhecer mérito à outra parte quando a tem.

Sei que não somos todos iguais e ainda bem, para isso existe a caixa de comentários abaixo para, com respeito, exprimires a tua opinião.