Numa década onde as atenções estão maioritariamente viradas para Marte, nomeadamente com a missão Preserverance, foi na passada semana que a NASA anunciou 411 milhões de euros para, não uma, mas duas missões àquele que é o segundo planeta do nosso sistema solar.

Estas missões, a decorrer entre 2028 e 2030, visam investigar a componente geológica do planeta por forma a dar respostas ao porquê de a Terra e Vénus, de estrutura semelhante, serem tão distintos.

As missões alvos deste investimento da NASA são a DAVINCI+ (Deep Atmosphere Venus Investigation of Noble Gases, Chemistry and Imaging) e a VERITAS (Venus Emissivity, Radio Science, InSAR, Topography and Spectroscopy).

DAVINCI+

Esta missão visa medir a composição tóxica da atmosférica de Vénus e, desta forma, criar um modelo que permita compreender que forma evolui. Esta sonda consistirá, também num veículo, permitirá ainda o envio de imagens por forma a perceber se, tal como a Terra, Vénus tem placas tectónicas.

VERITAS

A outra missão, a VERITAS, terá como intuito o mapeamento da superfície de Vénus por forma a complementar as descobertas da missão anterior e criar um modelo da sua geologia por forma a compreendermos a história do planeta.