Ainda que nem tudo se tenha tornado realidade, os filmes também serviram como uma plataforma de lançamento para vários aparelhos eletrónicos que hoje utilizamos no dia-a-dia.

Nos anos 80, os computadores eram bem diferentes daquilo que consideramos hoje e estavam limitados aos engenheiros e especialistas neles. No entanto, o filme “Jogos de Guerra” retratou uma situação mais semelhante com a atual.

Era um mundo onde estas máquinas eram acessíveis a todos e já faziam parte do quotidiano dos cidadãos comuns. Além disso, criou também o debate sobre a importância da segurança digital.

E ainda no domínio dos aparelhos tecnológicos, falamos de telemóveis ou smartphones. Ainda longe de imaginar que se iriam tornar num dos aparelhos mais populares, num dos filmes de Charles Chaplin em 1928 apareceu um primeiro protótipo.

Numa das cenas de “Tempos Modernos”, uma das personagens anda enquanto segura um aparelho no ouvido ao mesmo tempo que conversa com uma pessoa que não está no mesmo local físico.

Mas, os exemplos não se ficam por aqui. Na série “Star Trek”, exibida nos anos 60, eram vários os tripulantes que tinham um aparelho que permitia fazer comunicações – e que era muito parecido aquilo que chamamos hoje de telemóvel.

Então, e os tablets? Além dos computadores e telemóveis, os tablets também apareceram em filmes (ainda antes de serem inventados). Uma das aparições mais marcantes foi num filme de 1968.

Em “2001 – Uma Odisseia no Espaço”, podes ver dois astronautas a almoçar enquanto leem as notícias. Esta espécie de tablet serviu como uma espécie de protótipo para aquilo que hoje conheces por tablets ou iPads.

Aliás, até os próprios fones sem fios surgiram em filmes, antes de se tornarem populares no mundo tecnológico. No filme “Fahrenheit 451”, as personagens vêm televisão utilizando fones de ouvido sem qualquer fio (uma espécie de AirPods).

Se hoje é normal jogares um jogo sem qualquer tipo de comando – e movendo apenas o corpo – nem sempre foi assim. Na trilogia de “De Volta para o Futuro” há uma cena que replica exatamente aquilo que podes fazer hoje com a tua Xbox.

Caso sejas fã da saga “Star Trek”, nomeadamente da série dos anos 60, sabes que os tripulantes da nave do capitão Kirk já utilizavam um aparelho que hoje é muito prático e utilizado por várias profissões.

O Replicador criava peças e objetos físicos, e funcionava como uma espécie de impressora 3D, que hoje até pode construir casas.

Mas, não foram só aparelhos físicos que podemos ver antes nos filmes. As tecnologias que utilizamos no nosso dia-a-dia também apareceram nestas produções de ficção antes de serem inventadas.

Nos anos 60, numa das séries de desenhos animados mais conhecidos, tentava imaginar-se como seria o mundo 100 anos depois. Não se acertou em tudo, mas as videochamadas são hoje uma parte integrante do nosso dia-a-dia.

Além disso, se hoje os telemóveis são na sua maioria táteis, nem sempre foi assim. Num filme de 2002, os computadores eram táteis, ou seja, sensíveis ao toque humano. A situação tornou-se real com o lançamento do primeiro iPhone em 2007.

E, se hoje já não precisas de saber o caminho e até podes simplesmente perguntar à assistente virtual, o percurso até aqui foi longo. A tecnologia do GPS evoluiu bastante com o decorrer dos anos.

Mas, nos anos 60 era apenas um sonho. No filme “Goldfinger”, da saga 007, o agente especial dirige um Aston Martin que tem um sistema de geoposicionamento, ou seja, como se fosse um GPS.