Com o passar dos anos, as câmaras fotográficas evoluiríam de máquinas de grandes dimensões para pequenos dispositivos portáteis que conseguem caber no bolso. No ano de 2020, estimou-se que foram tiradas cerca de 1,436,300,000,000 fotografias, pelo que a fotografia tem ganho um papel de destaque na nossa sociedade. Apesar de as usarmos constantemente, o funcionamento de uma câmara fotográfica é alheia a muitos de nós, pelo que neste artigo te damos a conhecer não só como funcionam as mesmas, mas também que tipos de câmaras e lentes existem, entre outras curiosidades.

Que tipos de câmaras existem?

Antes de compreender como funcionam as câmaras, temos que começar por conhecer que tipos de câmaras existem. Atualmente, as câmaras enquadram-se em 3 tipos com maior popularidade:

  • Câmaras Digitais - as câmaras digitais são câmaras prontas a capturar e gravar imagens, com recurso a um sensor digital. Como principal vantagem destas câmaras, aponta-se a compactabilidade e a facilidade de uso. No entanto, a qualidade das imagens produzidas pelas mesmas fica aquém das obtidas por câmaras DSLR.
  • Lentes de Reflexo Único (SLR ou Single Lens Reflex) - as câmaras SLR utilizam uma única lente para composição, focagem e gravação. As imagens capturadas por câmaras SLR ficam em película.
  • Lentes Digitais de Reflexo Único (DSLR ou Digital Single Lens Reflex) - estas câmaras usam o mesmo tipo de lentes que as câmaras SLR, porém gravam a imagem capturada com recurso a sensores digitais. Outro fator que difere as câmaras SLR e DSLR é que estas últimas gravam as imagens em cartão de memória, ao invés de película fotográfica.

Tipos de lentes

Qualquer câmara é composta por diversas componentes, de entre as quais as lentes representam um papel muito importante. As lentes podem classificar-se em 2 tipos principais: primárias e de zoom. No caso das lentes primárias, estas têm uma distância focal fixa. Já as lentes de zoom são compostas por diversas sub-lentes que permitem variar a distância focal. A par com estas diferenças, é natural que o preço as acompanhe, sendo mais caro e dificil de transporte uma lente de zoom.

Com a evolução da fotografia em smartphones e das câmaras acessíveis, ouve-se cada vez mais falar de outros tipos de lentes, em particulas:

  • Lentes standard - tipo mais comum de lente, que permite fazer com menor precisão o mesmo que os demais tipos de lentes.
  • Lentes macro - lentes especializadas para fotografias em proximidade, com capacidade para captura elevada de detalhes.
  • Lentes telephoto - estas lentes permitem isolar e capturar objetos distantes, ainda que com o abdicando de um campo de visão mais largo.
  • Lentes de ângulo amplo (wide angle) - lentes que permitem a captura de cenários amplos, mantendo o foco de todo o enquadramento.

Como funciona uma câmara?

Agora que conhecemos os tipos de câmaras e de lentes existentes, é altura de compreender o funcionamento base de uma câmara. Para isso, precisamos primeiro de aprender alguns conceitos básicos.

Qualquer câmara é composta por 3 elementos: um elemento ótico, um elemento de captura e um elemento de gravação. Uma imagem final vista pelo utilizador é uma combinação destes 3 elementos.

Um conceito a conhecer no mundo da fotografia é a abertura (também conhecida como aperture), medida com base na terminologia f-stop. As lentes possuem aberturas que permitem captar mais ou menos luz, que é possível regular. Uma maior abertura permite a captação de mais luz, ao passo que uma menor abertura capta menores quantidades de luz. Pensemos no "f" como uma fração, na qual f/2 permite entrar metade da luz capturada, f/4 permite capturar 25% da luz capturada e por aí em diante. A título de exemplo, uma lente com abertura de f/2 permitirá captar muito mais luz do que uma lente f/16.

Em termos práticos, uma maior abertura da lente permite captar com maior foco nos objetos mais próximos da câmara. Por oposição, uma menor abertura irá reter um maior detalhe do cenário em geral. Para ambos os casos, a abertura afeta a quantidade de luz presente na imagem final.

Maior abertura resulta em maior foco dos objetos mais próximos. Fonte: PhotographyLife

Outra das componentes a ter em conta é o obturador. Este encontra-se normalmente localizado atrás das lentes e abre/fecha para controlar a quantidade de luz que o sensor recebe. É possível alterar a velocidade do obturador, pelo que um obturador mais lento permitirá a maior entrada de luz, mas em contrapartida desfocará os objetos que se encontrem em movimento.

Para poder fotografar em distância, as câmaras dispõem de zoom que se pode subcatergorizar em zoom digital e zoom óptico. No zoom digital, é usada uma combinação de captação da câmara com o uso de software para captar a imagem em maior distância. Já no zoom óptico, as lentes são ajustadas para fazer zoom em um (ou mais) objeto(s) à distância. Por comparação, a imagem do zoom digital apresentará menor qualidade face à do zoom óptico. As câmaras SLR e DSLR apresentam zoom óptico, enquanto que nos smartphones vemos zoom digital.

Por último, temos que falar do comprimento focal. De forma sucinta, o comprimento focal descreve a distância em milímetros entre o centro óptico das lentes e o sensor da câmara. Um maior comprimento focal resulta em imagens com mais zoom e vice versa.

Processo de captura de imagem

Até aqui, conseguiste acompanhar com todos os conceitos das câmaras fotográficas? Se sim, estamos prontos para perceber como funciona a capturação de uma imagem. Para uma câmara moderna, este processo pode-se resumir nos seguintes passos:

  1. Quando o utilizador clica no botão para captar uma fotografia, a câmara recebe a luz do cenário que se encontra na sua frente.
  2. Essa luz é focada num único ponto, cujo tamanho depende da abertura.
  3. A luz atravessa a lente até chegar ao obturador, que se abre para revelar o sensor que tem por detrás.
  4. O sensor posteriormente deteta as diferentes cores e converte-as na imagem final que nos é apresentada.

No caso concreto da captura de imagens através do smartphone, estes têm um obturador eletrónico por restrições de espaço do equipamento. Assim, ao pressionar o mesmo o dispositivo comunica ao sensor que pretende captar um determinado momento. Muitos smarphones distinguem-se por apresentarem modos de fotografia, como a fotografia noturna ou a eestabilização ótica de imagem. No entanto, estes modos são geridos por software para controlar a velocidade do obturador.

Eis que agora já sabes os principios básicos do funcionamento de uma câmara fotográfica. Gostarias de conhecer como funcionam outros objetos? Se sim, quais? Partilha connosco na secção de comentários.