A maioria das civilizações alienígenas que já habitaram na nossa galáxia provavelmente estarão mortas. Essa é a conclusão de um novo estudo, apresentado pela NASA, que usou astronomia moderna e modelagem estatística para mapear o aparecimento e a morte da vida inteligente no tempo e no espaço na Via Láctea.

Investigadores do Instituto de Tecnologia da Califórnia e do Jet Propulsion Laboratory da NASA usaram uma versão expandida da famosa Equação de Drake e determinaram onde e quando haveria mais probabilidade de existir inteligência extraterrestre na nossa galáxia. Foram analisados vários fatores que poderiam levar a um ambiente habitável e concluíram que a melhor altura para existir vida inteligente na Via Láctea foi aproximadamente 8 milhões de anos depois desta ser formada. Algumas dessas civilizações poderiam ter estado a 13.000 anos-luz do centro galáctico, cerca de 12.000 anos-luz mais perto do que a Terra, onde se acredita que os humanos surgiram 13,5 bilhões de anos após a formação da Via Láctea. Além disso, foi também identificado o fator que terá afetado a capacidade de sobrivicência destas: a tendência das criaturas inteligentes para a auto-aniquilação.

Segundo Jonathan H. Jiang, astrofísico do Laboratório de Propulsão a Jato da NASA na Caltech e coautor do estudo, "Desde a época de Carl Sagan tem havido muita pesquisa. Especialmente desde o Telescópio Espacial Hubble e o Telescópio Espacial Kepler, temos muito conhecimento sobre as densidades [de gás e estrelas] na via láctea e nas taxas de formação de estrelas e formação de exoplanetas … e a taxa de ocorrência de explosões de supernovas. Na verdade, temos alguns dos números [que eram mistérios na época do famoso episódio ‘Cosmos’].”

Dentre os fatores que presumivelmente permitiram o desenvolvimento da vida inteligente encontram-se a prevalência de estrelas semelhantes ao Sol, a frequência de supernovas que emitem radiação mortal, a probabilidade e o tempo necessário para a vida inteligente evoluir nas condições adequadas e, por fim, a possível tendência para as civilizações avançadas se auto-destruírem.

E o que poderá ter levado à aniquilação destas civilizações mais antigas?

De acordo com os resultados do estudo, os fatores que poderiam ter levado à exterminação dessas civilizações, são: exposição à radiação, paralisação na evolução devido a um impacto de asteroides ou outra catástrofe natural e, ainda, a tendência da vida inteligente para se autoaniquilar, quer através de mudanças climáticas, avanços tecnológicos ou guerra. Sugere-se assim que se houver alguma civilização alienígena no momento esta ainda é jovem. Porquê? Porque as restantes ter-se-ão erradicado a elas próprias.