Provavelmente ainda és da altura das cassetes ou até do MP3, mas esses tempos mudaram. Já sabes que é cada vez mais fácil ouvir música – e tudo graças aos serviços de streaming.

De certeza que já ouviste falar ou até utilizaste/utilizas alguns dos serviços que vamos apresentar neste artigo. Ainda assim, recomendo-te leres este artigo até ao fim, nem que seja para ficares com uma noção de quais são os melhores.

Spotify

Começamos pelo mais conhecido a nível mundial e também o mais utilizado em Portugal. O Spotify tem duas modalidades de utilização. Podes utilizar o serviço de forma gratuita ou de forma paga – cada uma com as suas limitações.

Na versão grátis és obrigado a ouvir pequenos anúncios entre músicas, tens um limite de músicas que podes saltar ou outras limitações que vão variar de acordo com o dispositivo onde utilizas o serviço.

Já a modalidade paga permite que possas ouvir toda a música offline, em qualquer aparelho eletrónico, isto é, todas as tuas playlists disponíveis offline. Além disso, não há anúncios.

Tens sempre 30 dias grátis no primeiro mês da tua conta, sendo que depois o preço varia mas o normal é de 6,99 euros por mês. Há sempre promoções disponíveis e podes dividir a conta com mais pessoas.

Este serviço é o mais popular e é fácil perceber o porquê. É prático de utilizar, está disponível em todo o tipo de dispositivos e tem uma versão gratuita. Mas, não está sozinho.

Apple Music

O Apple Music tem vindo cada vez mais a ganhar o seu lugar, com mais de 50 milhões de músicas de todos os estilos disponíveis.

Aqui não há versão gratuita, mas sim três planos diferentes. O plano estudante custa 3,49 euros por mês, o individual com o custo de 6,99 e o familiar mais caro, mas que permite ter seis pessoas do agregado familiar.

A qualidade do som é boa, ele está disponível numa panóplia de dispositivos da própria marca e no Android.

Este são os dois serviços mais conhecidos, mas ainda há outros dois que vale a pena conhecer e que são cada vez mais utilizados por cá.

Tidal

Falo-te do Tidal que é considerado por muitos o melhor serviço de streaming musical nos dias de hoje. A história do Tidal é um pouco polémica, visto que foi criado com o objetivo de pagar melhor aos artistas presentes no seu catálago.

Com 56 milhões de músicas disponíveis, não há uma versão gratuita, mas sim várias pagas. A mais comum é a Premium com o mesmo preço do Spotify e com a qualidade de som standard. A assinatura Família Premium tem o preço de 10,49 euros e podes adicionar cinco membros da família.

Ainda assim, a que provavelmente compensa mais será a HiFi, onde a qualidade do som é melhor e compensará o investimento. O preço é mais elevado, mas se fores um fã de som em Alta Fidelidade seguramente que compensará.

Além da qualidade de som, o que distingue o Tidal dos restantes serviços são as outras coisas que inclui na mensalidade. Podes assistir a concertos e eventos exclusivos para os utilizadores.

Deezer

Para terminar, tens o Deezer. Criado já há mais de dez anos em França é muito semelhante ao Spotify – incluindo no design. O número de músicas da biblioteca é também grande (ao todo são mais de 40 milhões).

Podes encontrar também o Deezer em várias plataformas, desde telemóveis a televisões. Tens uma versão gratuita com ainda menos anúncios do que o Spotify e uma paga com a possibilidade de ouvir offline e sem qualquer publicidade.

Há mais...

E porque opções de escolha não te faltam e as que apresentei em cima podem não te agradar, no nosso mercado tens mais serviços, como o da gigante do comércio eletrónico Amazon, que também tem o seu serviço Amazon Music disponível em Portugal, o YouTube Music da Google também e o Pandora (muito popular nos EUA).