A Apple só irá revelar o iOS 15 e o iPadOS 15 na sua conferência anual de programadores WWDC, que tem início no próximo dia 7 de junho num formato online, devido à pandemia de COVID-19. Normalmente, a Apple lança essas atualizações por volta de setembro, altura do ano em que costuma lançar os seus novos iPhones. É provável que o mesmo aconteça neste ano. No entanto, algumas novidades sobre as próximas atualizações do sistema operacional já são conhecidas, graças a um relatório da Bloomberg.

Uma novidade muito importante, que deverá ser introduzida no iOS 15, é que os utilizadores poderão definir regras de notificação diferentes com base no seu estado ('status'), de acordo com intervalos predefinidos. Por exemplo, caso estejam a trabalhar, poderão configurar as notificações de forma a não serem incomodados por avisos sonoros nesses momentos. Isto também vale para a altura de dormir, jantares de negócios, etc., ficando ao critério de cada um essa personalização.

Entre outras coisas, mas principalmente por causa da pandemia, o ano de 2020 será lembrado por todos aqueles que se tornaram dependentes das videoconferências, especialmente relativamente ao trabalho. Essa experiência trouxe à luz as limitações da plataforma FaceTime da Apple. Ao contrário do Skype ou do Zoom, o FaceTime não possui uma opção para partilhar o ecrã durante uma reunião. A Apple deverá implementar um recurso semelhante na sua aplicação.

Também já se sabe que o ecrã de bloqueio e a central de controlo vão apresentar um novo design. Será a partir do ecrã de bloqueio ou da central de controlo que os  utilizadores vão poder ter acesso a um novo recurso de definição de respostas automáticas de mensagens com base no seu status atual, e também configurar se as notificações deverão emitir um som nessa circunstância, entre outras coisas.

A Apple também pretende fazer uma revisão significativa do iMessage para torná-lo "mais parecido com uma rede social", isto para competir com o WhatsApp do Facebook, embora algumas fontes esclareçam que esta mudança somente virá depois do lançamento inicial do iOS 15 e iPadOS 15. Ainda não se sabe nada sobre quais serão as alterações no iMessage.

Essas mudanças chegarão tanto ao iPhone como ao iPad, segundo o relatório da Bloomberg, mas o mesmo também afirma que a Apple dará ao iPad "a atualização mais significativa no ecrã inicial do dispositivo desde o lançamento inicial do produto em 2010."

No entanto, essas atualizações no ecrã inicial do iPad, parecem-nos como se fossem basicamente apenas uma questão de trazer as mudanças dos ecrãs iniciais que os iPhones já possuem no iOS 14 para iPads no iPadOS 15. A Apple apresentará a capacidade de adicionar widgets em qualquer lugar do ecrã inicial do iPad, e o relatório especifica que os utilizadores serão capazes de "substituir toda a grelha da aplicação por apenas widgets", caso os mesmos queiram.

O relatório da Bloomberg concentra-se inteiramente em iOS e iPadOS, mas oferece mais algumas notas de que a atualização do macOS deste ano será "menor". O macOS deverá receber a sua atualização anual na mesma época do iOS e iPadOS, juntamento com os watchOS e tvOS.